Pesquisa realizada pela NTC&Logística, em colaboração com a ANTT, envolvendo 2.290 empresas do setor de Transporte  Rodoviário de Cargas de todo o Brasil, revelou a situação das transportadoras no primeiro semestre de 2017.

O levantamento foi divulgado durante o CONET&Intersindical, realizado em agosto pela NTC&Logística no Rio de janeiro, e ressaltou importantes dados econômicos do TRC.

Entre os números apresentados, foi analisada uma defasagem de 20,89% nos fretes de carga lotação e 7,72% para carga fracionada. Estas defasagens foram calculadas comparando os valores das planilhas referenciais de custos da NTC&Logística, que não incluem impostos e margem de lucro, com os fretes médios praticados pelas empresas pesquisadoras. Também, segundo a pesquisa, 70,5% das empresas entrevistadas tiveram queda no faturamento e 91% diminuíram de tamanho.

“Nós sempre alertamos que a má cobrança do setor de transporte é muito grande, tanto pelo valor baixo de frete quanto pela falta de cobrança de alguns componentes tarifários como nos casos do GRIS, do frete Valor e das demais generalidades.

Além de cobrar mal o Frete peso, que é o carro-chefe do frete, as transportadoras não cobram os outros componentes, o que dificulta muito o lucro delas. A crise só mostra para o transportador que aquilo que ele deixou de cobrar no passado está fazendo falta agora”, afirma o assessor técnico da NTC&Logística, Lauro Valdívia.

Com a crise, toda a cadeia produtiva foi afetada e o pagamento do frete ficou prejudicado. 54,7% das transportadoras estão com o recebimento dos fretes em atraso, o que representa 14,3% do faturamento. Em média, as empresas demoram 26,7 dias para receber o que foi faturado. Como consequência disso, 38,7% delas estão com parte da frota parada  e 33% sofrem com alguma ação trabalhista.

Durante o CONET, que reuniu líderes e empresários do TRC, também foi bastante enfatizado a importância do realinhamento dos fretes praticados, acompanhado da cobrança dos demais componentes tarifários como Frete Valor, Gris, Generalidades e Taxas.

O presidente do SETCESP esteve no evento e ressalta que a cobrança correta das tarifas é essencial para o TRC, não só para fomentar o crescimento do setor, mas também para que as empresas possam alcançar resultados, ou seja o lucro.

“Em uma parceria justa ambas as partes precisam crescer de forma sustentável. Tarifa baixa, além de tudo, é questão de segurança viária, porque quando você tem uma operação com defasagem de preço ela se torna perigosa, pois a empresa, e até mesmo os autônomos, perdem a capacidade de manutenção de itens como pneus, freios, alinhamento e outros componentes. Enfim, uma tarifa justa e equilibrada é importante para que os transportadores prestem um serviço de qualidade e consequentemente possam ajudar na recuperação da economia nacional”, ressalta Tayguara Helou.

Taxa de emergência excepcional- EMEX

Outro assunto ressaltado no encontro foi a importância da cobrança da EMEX- Taxa de Emergência Excepcional diante da situação de aumento de roubo de carga na região metropolitana do Rio de Janeiro.

A generalidade foi criada em fevereiro de 2017 na edição do CONET de Rio Quente (GO) e trata de um valor extra cobrado para coletas e entregas em regiões que se encontram em estado de beligerância. A sua cobrança se justifica pelo alto custo suportado pelas empresas transportadoras para manter suas operações nestas condições.

O valor dessa taxa é de R$10,00 por fração de 100kg mais um percentual do valor da carga que varia de 0,3% a 1,0%.

 

Fonte: Revista Setcesp, edição 39, out/nov de 2017. Pág, 14

Câncer de mama: a prevenção está em suas mãos

| DICAS | Sem Comentários
Neste mês, realiza-se a campanha do Outubro Rosa, desde os anos 1990, onde busca-se conscientizar sobre a importância da prevenção do câncer de mama, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade. A campanha foi criada pela Fundação Susan G. Komen…

Prevenção de acidentes: por que essa é a melhor ferramenta para o caminhoneiro?

| AMIGOS DA CARGA, Caminhões, DICAS, Gerenciamento de Riscos, Rodovias, SEGURANÇA, Transporte | Sem Comentários
Na semana em que comemoramos o Dia Nacional de Segurança no Trânsito, Buonny enfatiza a importância da direção preventiva e da saúde de motoristas (mais…)

Filial Buonny Minas: mudanças para atender ainda melhor

| Gerenciamento de Riscos | Sem Comentários
Sob nova gestão e com novo espaço, a filial Buonny Minas está ainda mais preparada para atender os clientes da região (mais…)

Campanha aplica teste de COVID-19 e vacina contra H1N1 em caminhoneiros

| AMIGOS DA CARGA, DICAS, Gerenciamento de Riscos, Gestão de Frota, LOGÍSTICA, Rodovias, SEGURANÇA, TECNOLOGIA, Transporte | Sem Comentários
Em cinco pontos da Baixada Santista (SP), é possível realizar a testes do COVID-19 e se vacinar contra o H1N1 (mais…)
  RESPEITO SE CONQUISTA COM ATITUDES
SÃO PAULO – SP
55 11  5079.2500 / 55 11  3443.2500
BELO HORIZONTE – MG
55 31  3653.6317
CURITIBA – PR
55 41  3015.7109
PORTO ALEGRE – RS
55 51  3072.1375
GOIANIA – GO
55 62 3645.3400
SALVADOR – BA
55 71  3271.4680
SANTIAGO – CHILE
56 2 3251.1125
Buonny Projetos e Serviços de Riscos Securitários Ltda ® Todos os direitos reservados | Ouvidoria: 11 5079.2621 – ouvidoria@buonny.com.br
CNPJ: 06.326.025/0001-66 | IE: Isenta | Alameda dos Guatás, 191 – Jd. da Saúde – São Paulo / SP – CEP 04053-040