A 21ª edição da pesquisa de rodovias da CNT ( Confederação Nacional do transporte), que avaliou 105.814 Km de rodovias brasileiras, constatou que a qualidade viária do país continua em queda.

De acordo com o estudo, 61,8% dos trechos avaliados em 2017 foram classificados como regulares, ruins ou péssimos, enquanto em 2016 o índice era de 58,2%. As rodovias avaliadas como boas ou ótimas também apresentaram queda de desempenho, o que inclui algumas rodovias concedidas à iniciativa privada, de 38,2% em 2017 contra 41,8% no ano passado.

Para Clésio Andrade, presidente da CNT, a queda na qualidade das rodovias brasileiras tem relação direta com o histórico de baixo investimento. Em 2011, por exemplo, os investimentos públicos federais em infraestrutura rodoviária somavam R$11,21 bilhões, já em 2016, o volume investido praticamente retrocedeu ao nível de 2008, caindo para R$ 8,61 bilhões. Em 2017, o índice continua pífio:R$ 3,01 bilhões até junho.

Buracos, desníveis, quedas de pontes e barreiras são os principais problemas apontados pelo estudo, e geram, principalmente, aumento de custos no transporte rodoviário. veja o que é afetado pelas más condições das vias:

Consumo de combustível

Seja nas situações de anda e para ou nas que exigem mais força para serem vencidas, como os atoleiros da Rodovia Transamazônica, a consequência é o aumento no consumo de combustível.

Manutenção

Buracos, deformações e desníveis geram maior quantidade de quebras, desgaste prematuro de componentes da suspensão, freios e transmissões e aumento de gastos com manutenções, lubrificantes e pneus.

Índice de furtos e roubos

Com a redução da velocidade para vencer pontos críticos e não planejados, o motorista está sujeito a todo tipo de violência: agressões, furtos e roubos de carga.

Avarias na carga

Ao transitar por locais em desacordo com as recomendações das fabricantes de implementos, como as estradas de má qualidade do país obrigam empresas e motoristas, a carga pode ser deslocada e ficar avariada ou comprometida, causando prejuízos à operação.

Produtividade

Eventos negativos como a redução, avaria ou perda de carga, maior custo de combustível e manutenção e atraso na entrega afetam a produtividade da transportadora, gerando aumento de custos e queda de rentabilidade da operação.

Fonte: revista Transporte Mundial, edição 170, ano 2017, pág 8

 

 

Câncer de mama: a prevenção está em suas mãos

| DICAS | Sem Comentários
Neste mês, realiza-se a campanha do Outubro Rosa, desde os anos 1990, onde busca-se conscientizar sobre a importância da prevenção do câncer de mama, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade. A campanha foi criada pela Fundação Susan G. Komen…

Prevenção de acidentes: por que essa é a melhor ferramenta para o caminhoneiro?

| AMIGOS DA CARGA, Caminhões, DICAS, Gerenciamento de Riscos, Rodovias, SEGURANÇA, Transporte | Sem Comentários
Na semana em que comemoramos o Dia Nacional de Segurança no Trânsito, Buonny enfatiza a importância da direção preventiva e da saúde de motoristas (mais…)

Filial Buonny Minas: mudanças para atender ainda melhor

| Gerenciamento de Riscos | Sem Comentários
Sob nova gestão e com novo espaço, a filial Buonny Minas está ainda mais preparada para atender os clientes da região (mais…)

Campanha aplica teste de COVID-19 e vacina contra H1N1 em caminhoneiros

| AMIGOS DA CARGA, DICAS, Gerenciamento de Riscos, Gestão de Frota, LOGÍSTICA, Rodovias, SEGURANÇA, TECNOLOGIA, Transporte | Sem Comentários
Em cinco pontos da Baixada Santista (SP), é possível realizar a testes do COVID-19 e se vacinar contra o H1N1 (mais…)
  RESPEITO SE CONQUISTA COM ATITUDES
SÃO PAULO – SP
55 11  5079.2500 / 55 11  3443.2500
BELO HORIZONTE – MG
55 31  3653.6317
CURITIBA – PR
55 41  3015.7109
PORTO ALEGRE – RS
55 51  3072.1375
GOIANIA – GO
55 62 3645.3400
SALVADOR – BA
55 71  3271.4680
SANTIAGO – CHILE
56 2 3251.1125
Buonny Projetos e Serviços de Riscos Securitários Ltda ® Todos os direitos reservados | Ouvidoria: 11 5079.2621 – ouvidoria@buonny.com.br
CNPJ: 06.326.025/0001-66 | IE: Isenta | Alameda dos Guatás, 191 – Jd. da Saúde – São Paulo / SP – CEP 04053-040